acredite, aposte, ria, imagine, sonhe, busque, chore, se doe, perdoe, ame, peça perdão, se atreva, arrisque, persiste, apaixone-se, estude, aproveite, dedique-se, ame, descabele-se, enlouqueça, extravase, grite, sussurre, cochiche, cante, dance, interprete, aceite, ceda, aprenda, entenda, não tente entender, apóie, alegre-se, viaje, conheça, quebre a rotina, surfe, nade, voe, silencie-se, pense, reflita, dê valor, não perca tempo, sorria, vá, volte, olhe, aprecie, faça planos, fuja, ouça, diga, gaste, compre, venda, delete, arquive, mude, desmascare-se, lembre-se, recorde, aproveite, não sofra, sorria, adore, queira, viva intensamente cada segundo, a vida é bela, não invente obstáculos e siga de cabeça erguida! VIVA!

domingo, 22 de agosto de 2010

um rápido parenteses!

Pra quem me acompanha sabe que os meus posts geralmente são textos meus, nada muito além do normal... mas hoje, devido a minha grande indignação com uma diretoria medíocre, uma linda derrota, e um mágico jogador, mudo o post pra falar um pouquinho do jogo de hoje!
Brincadeiras alvinegras a parte, e deixando claro que o meu amor por esse time jamais mudará, é eterno, e como eu digo: quando morrer quero meu caixão preto, branco e vermelho, assim como o meu coração!



Análise do clássio SCCP X SPFC.
por Xapolin (www.spfcdigital.com.br)

“Senhoras e senhores, sejam bem-vindos ao circo de horrores com tecnologia em 3 cores. Apresentamos um elenco repleto de atrações super divertidas para o entretenimento de sua familia. Contamos com um mágico que faz o impossivel jogando embaixo de 3 traves..Temos também alguns palhaços que garantem boas gargalhadas, mas, o mais impressionante de tudo é a improvisação que causa extrema tensão!”
A chamada clássica de um circo pode se encaixar perfeitamente ao que foi a partida dessa tarde no pacaembu, infelizmente!
Um respeitável público de 30 mil pessoas pode acompanhar uma equipe do São Paulo sendo coadjuvante do primeiro ao último minuto do jogo. Um time que não teve sequer um momento melhor na partida e, por competência única de um magnífico atleta, não saiu com o que poderia ter sido o resultado mais vergonhoso dos últimos tempos…

Magic Ceni – Tudo que for de elogios ao Rogério nessa partida ainda será pouco. Defesas inacreditáveis, impressionantes. Nada pode fazer se é cercado por quem não tem um por cento de sua dedicação.
Xandão – Tentou, lutou, mas contra um ataque de dois jogadores somado a um companheiro de zaga que joga contra, fica dificil.
Miranda – Boatos dizem que há algumas propostas do futebol italiano pelo zagueiro tricolor. Claro que sempre pensamos em ajudar as pessoas, por isso reservamos algumas dicas do idioma para Miranda. (lembrando que é preciso um pouco de concentração para aprender, o que pode dificultar a vida do defensor):Dio mio!= Meu DEUS
Non posso crederci!= não acredito nisso!
Occhio!= cuidado
Piacere di conoscerla = prazer em conhecê-lo
Fica a dica, Miranda..
Jr. César – Tem suas características ofensivas comprometidas pelo falho sistema defensivo, que o faz parecer culpado pela avenida que fica do lado esquerdo do São Paulo. Problema do técnico, quando tivermos um…
Jean – Certa vez Zeca Pagodinho disse sobre Jean na lateral: “Deu lavagem ao macaco, banana pro porco, osso pro gato, sardinha ao cachorro, cachaca pro pato..”
Rodrigo Souto – Não fez menos do que faz sempre, nem mais do que se pode esperar..simples! Até demais..
Cleber Santana – Lento, sem criatividade, sem vontade e ainda deu um gol ao time galináceo.
Marlos – Não estava bem, como nos últimos jogos, mas é um jogador que de repente faz alguma coisa que…na verdade, merecia sair mesmo. Muito fominha e pouco objetivo.
Fernandão – Seguimos aguardando o retorno do período de pausa para a copa do mundo do atleta Fernando Lúcio da Costa.
Ricardo Oliveira – É o esforçado atacante tricolor. Bom de bola, mas sem uma ligação do meio ao ataque, fica dificil demais.
Richarlyson – Não fez o que foi esperado dele, que era mudar o jogo, fazer ou dar passes para, no mínimo, dois gols do Tricolor. Não foi o cara que entrou e fez o São Paulo renascer. Vai ver é porque não tem esse perfil, nunca teve e nem vai ter. Mas na cabeça de todos os treinadores ele é o intocável do São Paulo. Gostaria de saber o que se passa na cabeça dos outros jogadores reservas do São Paulo. Imagine você sendo especiallista em algo, quando pode ser sua oportunida, entra um cara que não é do ofício, sendo que acabou de voltar de lesão e não é bom naquilo que você faz.
Marcelinho – Deu uma mobilidade interessante ao inexistente meio de campo do São Paulo. Merece mais oportunidades e, de preferência, que não sejam somente com o time perdendo um clássico.
Sérgio Mota – Disperdiçou uma oportunidade de ouro! Entrou aos 43 minutos e não conseguiu fazer 3 gols, o que é inaceitável. 3 minutos é tempo suficiente pra sabermos se é um jogador que serve ou não pro time.
Sergio Baresi – O que esperar? Nítidamente perdido na função. Não tem bagagem pra aguentar uma pressão de um clássico e mudar o panorama da partida. Mas tem tudo pra ser mais um treinador que irrita a torcida. Mudar o time promovendo a entrada de Richarlyson no lugar de Rodrigo Souto em um jogo que o time perde por 2×0 é brincadeira. Colocar Marcelinho é obrigação de quem veio da base também. Fazer alteração aos 43 minutos do segundo tempo deveria ser cláusula contratual que daria demissão por justa causa a qualquer treinador medíocre.No esporte vence o ousado, o que vai além do que se pode esperar. Não se surpreende com medo. Não se alcança nada além agindo de forma óbvia.
Direção do São Paulo –
Estão selando muito bem um ano de derrotas. Segue o Tricolor sem vencer um clássico no ano. Pedir um lateral e um jogador pra ser o camisa 10 do time é bobagem, não devemos mais perder tempo com isso.O São Paulo FC clube nos dá orgulho sempre. Somos são-paulinos, passe quem passar por lá, jogue quem jogar.O que fica registrado, e acredito que falo por muitos, é a falta de consideração da diretoria e alguns jogadores com a torcida tricolor. É INADMISSÍVEL um time não vencer nenhum clássico no ano e, pior ainda, ser derrotado como fomos hoje, agradecendo a nosso goleiro por não tomarmos uma goleada histórica e não tendo sequer uma jogada que tivesse oferecido perigo ao adversário. O São Paulo não pode perder tomando olé e não ser ao menos um time batalhador, já que a qualidade técnica é algo que nós não temos mesmo.
Mas….a diretoria já mostrou o papel e a importância da torcida com suas atitudes recentes.


Enfim, é isso... com o São Paulo até o fim, mesmo que a derrota seja constante, que as redes adversárias não balancem mais, e que todo o Morumbi se cale!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

tem que seguir o rumo...

Quando o amor bate à porta do coração não há como resistir...
Não há como simplesmente ignorar e deixar pra lá...
Pode ser que ele venha calmo, leve como a brisa no verão.
Ou pode ser que ele venha forte, arrebatador como as ventanias de outono.
Pode ser que venha e logo seja correspondido...
Ou poder ser que demore, e o coração sofra com a espera...
E até quem sabe, ele nunca se realize, e então um coração certamente doerá... por toda uma vida.
Seja amor, seja paixão... seja leve, seja forte... seja singelo, seja extravagante.. seja como for, seja amor...
Doendo ou não, é necessário amar... a vida é feita de amores, e (in)felizmente de desamores também.
Mas e quando amamos? Quando a amamos a vida muda, tudo muda de valor, tudo muda de sabor; o coração bate num novo ritmo, um ritmo frenético, desenfreado, é como se a felicidade tomasse conta do nosso corpo... é querer acordar e observar o nascer do sol enquanto a água do chuveiro cai na cabeça...
É como se os pássaros vivessem a cantar... é querer aproveitar cada segundo das coisas simples da vida.... é querer ver o pôr-do-sol, e adormecer sob a luz do luar e o brilho das estrelas. E assim, o corpo muda, coração muda....
Mas e quando o amor simplesmente não é correspondido, quando bate a vontade e o não poder , o coração sofre, perde o rumo, chora... e quando isso acontece, já não existem mais forças pra lutar e o coração desiste da pessoa amada. E então, logo o amor é superado... logo não restam mais vestígios daquele amor. Mas... e se? E se o coração simplesmente não esquecer, e se mesmo depois de tanto tempo o coração ainda bater por aquele amor? Um novo amor, e pronto, tudo estará resolvido...
E então, envolvido por esse amor, ainda lembra dos abraços, dos carinhos, dos sorrisos daquele amor, que não foi correspondido. E então, o coração se enobrece de amor novamente, e aquele outro amor ainda continua a habitar aquele coração. E é assim, que mesmo com todos os acasos, com todos os caminhos da vida o coração ainda bate por ele. E o amor segue seu rumo, seu fluxo, assim como deve ser... mas para os outros.